+55 48 98801-7262

+55 11 99850-8071

  • Facebook Drala
  • Instagram Drala
  • LinkedIn Drala

© 2019 

Atendimentos comerciais em Florianópolis - SC | São Paulo - SP | Curitiba - PR.

A transformação digital e as pequenas empresas, o empreendedor está preparado para o consumidor?

Hoje em dia, quem não está conectado às novidades que a transformação digital está trazendo para o mundo dos negócios, pode estar certo que está ficando para trás no mercado em geral.


O livro Cibercultura - do autor Pierre Lévy - nos mostra muito claramente que a nova era da civilização atual está passando. O autor também demonstra com muita propriedade, os impactos da era digital e de que forma esses conceitos estão influenciando nos nossos negócios.


Precisamos repensar como estamos inovando em nossas empresas. Para isso, é necessário levar em consideração o impacto da influência digital que o nosso consumidor está recebendo o tempo todo - em seu cotidiano e na sua nova forma de administrar sua vida.



Transformação digital e a era da inovação


Eu mesma, particularmente percebo toda a transformação digital que as empresas estão sendo levadas pela Era da Inovação de maneira extraordinária.


Essa transformação influencia o comportamento no atendimento e nas vendas das empresas, pois os consumidores estão buscando cada vez mais empresas inovadoras, desde a sua cultura interna como na forma de atendimento.



Não é à toa que só se fala em Startups, onde os fracassos que um dia foram mal vistos, hoje são sinônimos de experiências. Agradeço muito por isso, pois eu mesma tive algumas sociedades que não deram certo. Os erros ao longo da caminhada foi o que me fizeram repensar e seguir em frente. Hoje me sinto bem resolvida e feliz com as empresas que constituí.



Mudanças na legislação


A Era da inovação também nos traz mudanças na legislação. Com o seu nascimento, veio a GDPR - General Data Protection Regulation - na Europa. Aqui no Brasil, e ainda confundindo muitos empresários, está a LGPD.


Sim! Estamos falando da importantíssima Lei Geral de Proteção de Dados. Em suma, essa lei vem proteger os dados pessoais dos titulares, também de que forma serão tratados estes dados. Isto envolve um bom Compliance e advogados especialistas.


Em breve, todas as empresas que lidam com dados, devem estar severamente adequadas ao que rege a Lei. A famosa LGPD vem para ficar, embora alguns ainda acreditem que poderão continuar com o “jeitinho brasileiro”.



Cyber risks ou crimes cibernéticos


Ainda falando em inovação, existe algo que caminha lado a lado com ela. Estou falando de cyber risks ou também chamados de crimes cibernéticos.


Você já deve ter ouvido falar em ataques de crackers e suas façanhas de crime. São diversos tipos de invasões, e muitas delas pedindo resgates em bitcoins, danificando softwares ou simplesmente negligenciando dados. Uma prática que pode causar danos reputacionais irreparáveis às empresas.



Já comentei sobre cyber risks em outros momentos através de artigos, ou mesmo escrevendo nas redes sociais das minhas empresas. Tem bastante conteúdo interessante por lá, se quiser dar uma conferida!



Seguro cibernético e proteção digital


Para se proteger dos ataques cibernéticos, as empresas podem contar com seguro cibernético. Esse tipo de seguro, cobre praticamente todas as preocupações com as notificações e multas que será aplicadas com a LGPD em vigor - fato que ocorrerá a partir de agosto de 2020.


A proteção digital cobre também os danos de imagem, à marca da empresa, honorários advocatícios, lucros cessantes e até mesmo o crime de extorsão. É possível obter a cobertura das melhores seguradoras que atendem este ramo de seguro.


Falando nisso, você sabia que esse tipo de seguro não é tão recente? Ele desde 2012 no Brasil, mas a sua importância acaba passando quase despercebida. Isto ocorre porque simplesmente não se fala muito nesse tema. Ou, não se falava até que surgiu o tema sobre LGPD.


Muitos leigos pensam que o seguro Cyber surge para atender a nova lei, no entanto ele existe porque o risco cibernético já é tratado desde 1997 nos EUA, vindo atender o Brasil a partir de 2012.



Será que o empresário no Brasil está mesmo preparado para todas estas mudanças?


A transformação digital não se resume em digitalizar documentos. Sair do tradicional, significa mudar sua cultura. Não se consegue transformar uma empresa e inovar sem mudar a cultura intra empreendedora, e isto requer uma transformação top down - de cima para baixo, na organização.


A grande maioria dos negócios estão sendo realizados via internet. Hoje o WhatsApp é um grande fomentador de negócios, e vem comprovando essa mudança no comportamento do consumidor.



Hoje as pessoas querem receber conteúdos que os levem a consumir o produto final de uma empresa. Tudo se trata de uma mudança psicológica de comportamento de compra. A venda deve portanto, passar por esta adaptação, até a forma de apresentação ao cliente.



O que eu, Dionice penso sobre isso?


Eu penso que é uma necessidade de sobrevivência no mercado. O empresário que não mudar sua cultura, agir com inovação, nem ser resiliente não conseguirá se adequar ao seu negócio nem atender a demanda cada vez mais exigente do consumidor.


Sendo assim, pra que esperar mais e ficar insistindo com aquele velho argumento de que sempre deu certo? Tenha em mente que o mundo já não é o mesmo que era no segundo anterior. A internet chegou para acelerarmos nossa evolução, e de forma fantástica conseguirmos aprender tudo que estivermos dispostos.


Podemos alcançar o amplo mundo da informação. O primeiro passo da transformação começa por você! Bons Negócios,

Dionice de Almeida CEO – NV Seguros Digitais e CEO Drala Escola Virtual de Seguros Autora do 1º Curso EAD sobre Seguros Cibernéticos no Brasil

60 visualizações